Arquivo mensal: junho 2013

Encorajamento e fortalecimento

Tempos atrás eu pensei em iniciar um blog, mas um pequeno problema técnico se apresentou e eu desisti. A verdade é que não havia decidido o que eu realmente queria dizer. Deixei o problema decidir por mim. Mas pensando bem nos últimos anos de ministério, percebo que estou sempre voltando para os mesmos temas e quero compartilhar.

Quero também agradecer o estímulo de meu filho, Robert, e a ajuda prática que ele ofereceu para produzir este blog. Escrevo nos EUA e ele faz circular no Brasil.

Encorajamento e fortalecimento

Tudo começou quando a Missão Betânia, onde trabalho a 46 anos, pediu-me para ser fosse pastor dos missionários servindo ao Senhor em vários países. Quando viajava para Europa, Ásia, ou América do Sul, lia a respeito das viagens do Apóstolo Paulo. Lendo as suas cartas e os registros nos Atos dos Apóstolos eu via aparecendo duas palavras que descreviam suas atividades—“encorajando e fortalecendo”.

Alguns exemplos:

Então voltaram … fortalecendo os discípulos e encorajando-os a permanecer na fé Atos 14:22

Judas e Silas… encorajaram e fortaleceram os irmãos com muitas palavras. Atos 15:32

Encontraram com os irmãos e os encorajaram. Atos 16:40

…Procuremos encorajar-nos uns aos outros. Hebreus 10:25

Eu percebi que estas palavras representavam bem os meus objetivos nas viagens. Os missionários precisavam de ouvir palavras de ánimo, estímulo, afirmação, aprovação e valorização. Quando duvidavam do valor do seu trabalho ou de sua capacidade de realizá-lo, era sempre bom ter um amigo para encorajar e fortalecé-los.

Coragem e força

Recorde comigo as palavras que o Senhor deu a Josué quando assumiu o lugar de Moisés como líder de Israel: “Ninguém conseguirá resistir a você todos os dias da sua vida. Assim como estive com Moisés, estarei com você; nunca o deixarei, nunca o abandonarei. Seja forte e corajoso, porque você conduzirá este povo para herdar a terra que prometi sob juramento aos seus antepassados. Somente seja forte e muito corajoso!”

O que eu desejo com este “blog” é ser usado por Deus para encorajar e fortalecer os meus amigos leitores. Assim, ofereço estas palaras que creio ser pura verdade:

Deus concedeu a você um valor imensurável. Ele o criou, o conhece, o ama, o chama e deseja capacitá-lo a ser um indivíduo extremamente útil. Ele o valoriza como é, acredita na pessoa que você pode ser, e lhe oferece graça para desenvolver e fazer uso de seus dons e habilidades, e assim cumprir o plano que Ele tem para sua vida.

O Senhor ama você exatamente como é, mas o ama demais para deixá-lo como está. Se permitir que o Senhor opere em sua vida, Ele o ajudará a enfrentar todos os desafios e dificuldades, e então você se tornará uma pessoa grata, enriquecida, e mais bem preparada por causa destes desafios.

Portanto receba a graça do Senhor e o poder de Seu Espírito!  Libere o potencial que Deus colocou em sua vida, deixando de lado as limitações que você mesmo tem criado, e viva para glorificar a Deus ao máximo. Transforme em valor útil o valor intrínseco que o Senhor lhe concedeu e aplique-o em favor de Deus – para seu bem, de sua família e de seus semelhantes.

Paz Interior

Quando eu analizava a narrativa de Jesus e os discípulos no barco no meio da tempestade, eu tentava imaginar por que motivos o Senhor levou os discípulos a passar pela angústia daquela situação. Sei que pode ter havido razões que estão além do meu entendimento. Mais interessante é refletir sobre os motivos de nós passarmos por tempestades. Imaginei este cinco:
1. Para incentivar-nos a clamar a ele por socorro.
2. Para provar e fortalecer a nossa fé.
3. Para formar nosso caráter e preparar-nos para maiores desafios.
4. Para preparar-nos a ajudar outros nas tempestades que passam.
5. Para revelar quem ele é e o tamanho de seu poder.
Hoje estive pensando mais neste último. Jesus falou com os ventos e eles se acalmaram. Seu poder sobre os elementos transformou o medo dos discípulos em imensa admiração. Nós também veremos manifestações do poder de Deus se permanecemos na fé até ver
a solução chegar. Por estes motivos e mais não devemos estranhar quando passamos por dificuldades. Afinal, a Bíblia nos assegura de que “Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor de todas o livra” (Salmo 34.19).

Não desista no meio da provação, pois o Senhor não desistirá de trazer a solução.

— do livro Paz Interior em Tempos de Crise.

Restitui-me a alegria

RESTITUI-ME A ALEGRIA
Depois que Davi cometeu os pecados de adultério e assassinato, orou a Deus nos seguintes termos: “Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar” (Salmo 51.3,4).

E depois de arrepender-se plenamente de seu pecado e de aceitar o perdão, Davi não julgou que estivesse. pedindo muito quando suplicou ao Senhor, “Restitua-me a alegria da minha salvação” (Salmo 52.12). E ao lermos o Salmo 31, percebemos que de fato Deus lhe perdoou plenamente, pois Davi se regozijou dizendo, “Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto.”

Em um sermão gravado, o pastor David Seamands diz que só existem três alvos onde podemos atirar o sentimento de culpa decorrente de nossos pecados: 1) na cruz onde Jesus carregou “ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados… por suas chagas fostes sarados” (1 Pedro 2.24); 2) em nós mesmos, tentando expiar nossos erros através de sofrimentos infligidos a nós mesmos e enfermidades de fundo emocional; 3) em outros, geralmente aqueles que estão mais próximos a nós, que recebem o peso de nossa raiva e sentimento de frustração, tornando-se bodes expiatórios por tudo de mal que nos sobrevém. Obviamente o lugar certo é a cruz.