Arquivo mensal: setembro 2016

Impressionantes Exemplos de Integridade no Governo

Fazem vários meses que não publicamos um blog, mas creio que antes das próximas eleições, preciso mandar este. Que Deus nos ajude a seguir o exemplo dos jovens que aparecem aqui.

Impressionantes Exemplos de Integridade no Governo

Quatro jovens foram levados cativos e exilados num país estrangeiro. Eles se Recusando-se a participar da maldade presente naquela terra,  se dispuseram a fazer somente o bem – aquilo que era bom e reto e que honrasse unicamente a Deus. Jamais cederiam às pressões de reconhecer os deuses locais – até mesmo quando a fidelidade ao Deus verdadeiro lhes custasse caro.

Os jovens se chamavam Beltezasar (Daniel), considerado o líder do grupo, e seus colegas  Sadraque, Mesaque, Abede-Nego.

É interessante notar que Nabucodonosor, rei da Babilônia, conseguiu mudar os nomes judaicos dos rapazes para estes nome da Babilonia, mas nada conseguiu mudar no caráter deles. Os rapazes Ilustram muito bem o que significa abraçar o que agrada a Deus e rejeitar o que O entristece.

Como chegaram a Babilônia? Quando Nabucodonosor atacou e dominou Jerusalem, ele levou consigo valiosos artigos do templo de Deus, e os colocou no templo do seu deus de Babilônia. Levou também alguns dos mais talentosos e prometedores jovens judaicos de a Babilônia para treiná-los a ocupar posições de liderança. Daniel e seus três amigos faziam parte deste grupo

Enquanto todos os outros do grupo comiam a comida extravagante e bebiam o os melhores vinhos que lhes foram oferecido, Daniel e seus três companheiros, Sadraque, Mesaque, e Abede-Nego, decidiram não se contaminarem com estes ítens. Comeram uma dieta simples de verduras. Quando, depois de alguns dias, eles pareciam mais saudáveis que os outros colegas, conseguiram permissão para seguir com a comida simples.

Deus abençoou os quarto rapazes, dando-lhes conhecimento e compreensão para trabalhar nesta cultura que era tão diferente da cultura deles. Além disso, Daniel recebeu de Deus um dom especial de compreender e interpretar sonhos e visões.

Depois que permaneceram um ano na Babilônia, o Rei Nabucodonosor teve um sonho e procurou entre os feiticeiros e astrólogos alguem que pudesse revelar o conteúdo e dar a interpretação correta dele. Quando estes não eram capazes de fazer o que o rei queria, Daniel orou e Deus lhe revelou tanto o conteúdo quanto também o significado do sonho.

Daniel explicou que nenhum feiticeiro seria capaz de interpretar o sonho mas que o Deus que habitava nos céus havia dado ao rei uma visão profética das coisas que haveriam de acontecer no futuro. Relatou ao rei que no sonho havia uma imagem composta de quatro materiais distintos – ouro, prata, bronze e barro – representando quatro dinastias que viriam, mas que chegariam a um fim. Em seguida viria o Reino Eterno de Deus, esmagando cada um dos outros reinos.

O Rei Nabucodonosor se impressionou sobre maneira, pois percebeu que Daniel não inventou uma interpretação para agradar, mas sabia exatamente como foi o conteudo do sonho sem ser contado. para depois interpretá-lo. O resultado foi que os três amigos de Daniel foram colocados em posições administrativos na Babilõnia e Daniel permaneceu no corte real, honrado pelo rei e, mais importante ainda, pelo Senhor Deus.

Jogados no fogo sem serem queimados

Nabucodonosor, em seguida, mandou fazer uma estátua de ouro e chamou os altos oficiais do governo para uma ceremônia onde foi decretado o seguinte:

 Quem não se prostrar em terra e não adorá-la será imediatamente atirado numa fornalha em chamas” (Daniel 3:6).

Sadraque, Mesaque, e Abede-Nego ouviram este decreto, mas sabiam que para obedecer, teriam que ofender a Deus, e por isso, se recusaram a se curvarem.

Quando isso aconteceu, foram entregues pelos oficiais e denunciados em termos bem claros:

“Não prestam culto aos teus deuses nem adoram a imagem de ouro que mandaste erguer” (Daniel 3:12).

Chamados para comparecerem perante o rei, responderam:

 “Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar-nos, e Ele nos livrará das tuas mãos, ó rei.  Mas, se Ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos teus deuses nem adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer” (Daniel 3:17-18).

Diante desta declaração, Nabucodonosor ficou furioso a mandou esquentar o fogo sete vezes mais que o normal. Depois, amarrou os três para lançá-los na fornalha. Mas logo depois de jogá-los na fornalna o rei Nabucodonosor, alarmado, levantou-se e perguntou aos seus conselheiros:

“Não foram três os homens amarrados que nós atiramos no fogo?”

Eles responderam: “Sim, ó rei”.

 E o rei exclamou: “Olhem! Estou vendo quatro homens, desamarrados e ilesos, andando pelo fogo, e o quarto se parece com um filho dos deuses”.

Então Nabucodonosor aproximou-se da entrada da fornalha em chamas e gritou: “Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus Altíssimo, saiam! Venham aqui!”

E Sadraque, Mesaque e Abede-Nego saíram do fogo. Os sátrapas, os prefeitos, os governadores e os conselheiros do rei se ajuntaram em torno deles e comprovaram que o fogo não tinha ferido o corpo deles. Nem um só fio de cabelo tinha sido chamuscado, os seus mantos não estavam queimados, e não havia cheiro de fogo neles”

Então Nabucodonosor aproximou-se da entrada da fornalha em chamas e gritou: ‘Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus Altíssimo, saiam! Venham aqui!’

E Sadraque, Mesaque e Abede-Nego saíram do fogo.  Os sátrapas, os prefeitos, os governadores e os conselheiros do rei se ajuntaram em torno deles e comprovaram que o fogo não tinha ferido o corpo deles. Nem um só fio de cabelo tinha sido chamuscado, os seus mantos não estavam queimados, e não havia cheiro de fogo neles.

Disse então Nabucodonosor: “Louvado seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que enviou o seu anjo e livrou os seus servos! Eles confiaram nele, desafiaram a ordem do rei, preferindo abrir mão de sua vida a prestar culto e adorar a outro deus que não fosse o seu próprio Deus.  Por isso eu decreto que todo homem de qualquer povo, nação e língua que disser alguma coisa contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego seja despedaçado e sua casa seja transformada em montes de entulho, pois nenhum outro deus é capaz de livrar alguém dessa maneira”. Então o rei promoveu Sadraque, Mesaque e Abede-Nego na província da Babilônia.

Eu quero destacar dois resultados impressionantes da fidelidade e integridade que estes jovens demonstraram

  1. A proteção divina que os jovens receberam na fornalha com a presença tão marcante de Deus.
  2. A declaração de Nabucodonosor liberando todos no império para adorar ao Deus verdadeiro. O Senhor foi glorificado.
  • Agora, mais um episódio bem conhecido.

Daniel na cova dos leões

Em várias ocasiões Daniel interpretou os sonhos dos líderes da Babilônia. Não vamos considerar todas estas ocasiões, mas não podemos deixar de considerar a vez em que Daniel foi lançado na cova dos leões. Aconteceu da seguinte maneira.

Daniel se destacou pelo desempenho na posição governamental e este fato o posicionou como principal administrador no império. Acontecendo isso, os outros líderes, muito ciumentos, procuraram uma maneira de acusá-lo de alguma ofensa, mas conforme a Bíblia diz,

Finalmente esses homens disseram: ’Jamais encontraremos algum motivo para acusar esse Daniel, a menos que seja algo relacionado com a lei do Deus dele’” (Daniel 6:5).

Sem encontrar ofensa para condenar Daniel, pediram ao Dario, que agora ocupava o trono, para decretar uma lei proibindo qualquer pessoa de orar nos próximos trinta dias a qualquer deus exceto a próprio rei .

Então o Rei Dario mandou imprimir a lei numa forma em que não podia ser revogada. Feito isso, alguns espiões foram à casa de Daniel e encontraram a seguinte  cena:

“Quando Daniel soube que o decreto tinha sido publicado, foi para casa, para o seu quarto, no andar de cima, onde as janelas davam para Jerusalém e ali fez o que costumava fazer: três vezes por dia ele se ajoelhava e orava, agradecendo ao seu Deus” (Daniel 6:10).

Foi exatamente o que os maçldos espiões queriam ver. Com a informação em mãos, foram entregar Daniel a Dario. O rei, então, se arrependeu de ter decretado a lei, mas não encontrou nenhum meio de revogar a lei e nem de salvar Daniel das consequências de sua desobediência. Disse apenas,

“O decreto está em vigor, conforme a lei dos medos e dos persas, que não pode ser revogada” (Daniel 6:12).

Em seguida…

Então o rei deu ordens, e eles trouxeram Daniel e o jogaram na cova dos leões. O rei, porém, disse a Daniel: “Que o seu Deus, a quem você serve continuamente, o livre!” (Daniel 6:16).

Dario teve uma noite quase sem sono, preocupado com Daniel que passou a noite em paz porque Deus manteve fechadas as bocas dos leões. Na manhã seguinte, Dario se apressou em irà cova e ali perguntou:,

Quando ia se aproximando da cova, chamou Daniel com voz que revelava aflição: “Daniel, servo do Deus vivo, será que o seu Deus, a quem você serve continuamente, pôde livrá-lo dos leões?” (Daniel 6:20).

Daniel respondeu,

“O meu Deus enviou o seu anjo, que fechou a boca dos leões. Eles não me fizeram mal algum, pois fui considerado inocente à vista de Deus. Também contra ti não cometi mal algum, ó rei.

Então o rei Dario escreveu aos homens de todas as nações, dizendo, “Paz e prosperidade! Estou editando um decreto para que em todos os domínios do império os homens temam e reverenciem o Deus de Daniel. “Pois ele é o Deus vivo e permanece para sempre;o seu reino não será destruído, o seu domínio jamais acabará” (Daniel 6;25-26).

Tantos detalhes poderiam ser escritos sobre estes jovens, mas eu queria destacar apenas estes fatos para mostrar que é possível abraçar o que agrada ao Senhor e rejeitar o que O entristece. Deus obviamente se agradou com os quatro jovens judeus em exílio e virou as coisas para o lado positivo cada vez que a integridade deles os envolveu em problemas.

Pergunto: O que aconteceria em nossas nações se os oficiais governamentais decidissem manter este tipo de integridade? O que aconteceria em nossas vidas, famílias, negócios e até igrejas se fizessemos o mesmo?

Não seria uma boa hora para avaliar a nossa maneira de tratar das finanças e negociações? Naõ seria bom nos comprometermos a ser totalmente honestos, jamais aceitando a idéia de que os fins justificam os meios? Não seria uma boa hora para pedir de Deus a sua ajuda para fazer o que agrada ao Senhor e jamais cair na tentação de fazer o que O entristece?

 

 

 

 

Anúncios