Arquivo da categoria: Guest Post

Estou contido mas não pertenço CONTIDO

Cumprimento meus amigos com o desejo de que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus Cristo estejam inundando os seus corações. Como estou engajado num projeto que me consome muito tempo, não tenho escrito as PALAVRAS DE PAZ por algumas semanas.

Hoje, porém, tive oportunidade de ler uma mensagem do meu querido amigo Marcelo Gualberto, de quem tenho grande saudade, e senti vontade de repassar a palavra dele para meus amigos. É uma palavra séria em que lamenta o estado das coisas em muitos setores do movimento evangélico.

Preste atenção no que escreveu este irmão que é digno de todo respeito e credibilidade.

Estou contido mas não pertenço CONTIDO

De: Marcelo Gualberto

Sim. Eu sei que o que significa o termo Evangélico. Também sei quais significados esse termo tem tomado a partir de atitudes e palavras de muitos que se dizem ser evangélicos. Por isso, prefiro me identificar como um discípulo de Jesus. Alguém que tomou uma decisão de seguir a Cristo, com todas as implicações que essa decisão possa trazer. No sentido original da palavra, continuo evangélico. Não há como ser um seguidor de Jesus sem ter um compromisso com o Evangelho, as Boas Novas de Salvação, a Palavra de Deus. Entretanto, não quero mais ser conhecido como “evangélico”, ou seja, pertencente a um sistema em total decadência, que tenta falar em nome de Deus, que pensa em Deus como propriedade exclusiva e que cada vez mais se distancia dos valores e princípios do Evangelho.

Outro dia estava me lembrando de algo que estudei quando era um pré adolescente: “Teoria dos Conjuntos”. Lembrei-me dos conceitos “contido/não contido”; “pertence/não pertence”. Cheguei à conclusão que estou “contido”, mas “não pertenço” ao meio “evangélico”, da maneira como ele se apresenta para a sociedade atual. Embora ainda esteja “contido” neste meio, percebo que algo novo começa a nascer dentro de mim.

> Não pertenço aos cultos transformados em “Shows Gospel”, sem Palavra, sem reverência, sem respeito pelos mais velhos.

> Não pertenço aos shows transformados em “cultos”, nos quais o “artista” resolve pregar mais do que cantar.

> Não pertenço ao mundo dos que insistem em me chamar de “Consumidor Cristão”.

> Não pertenço ao horror da política eclesiástica feita em nome de Deus.

> Não pertenço ao mundo dos que curtem as Celebridades Gospel.

> Não pertenço ao meio dos “missionários de ocasião”, que fazem turismo às custas da boa fé de muitos.

> Não pertenço às feiras de consumo cristão, nas quais Jesus e a sua Santa Palavra foram transformadas em marcas, grifes e produtos

> Não pertenço à maioria das “revistas gospel” que, para sobreviverem ao “mercado”, abrem espaço para anúncios e matérias de conteúdos questionáveis sob todos os aspectos.

> Não pertenço ao mundo dos “pastores” que se envolvem com política partidária e se candidatam a cargos incompatíveis com o exercício do pastorado.

> Não pertenço aos momentos de “louvor comunitário”, repetitivos, infindáveis, insuportáveis.

> Não pertenço ao meio dos “novos ricos-pastores-cantores-celebridades”, ordenados ao pastorado à toque de caixa, sem nenhum preparo.

> Não pertenço ao mundo das danças “proféticas”, “litúrgicas” e “espontâneas”, que mais parecem linguagem de sinais e executadas, na maioria das vezes, por pessoas sem nenhum preparo para tal.

> Não pertenço aos “Festivais Promessas” da Globo (com cara de piedade); à chuva de “Bíblias Anotadas” com fins apenas comerciais.

Quero pertencer só a Cristo. Quero fazer parte das coisas simples. Quero o fardo leve e suave de Jesus. Quero pertencer ao grupo daqueles que valorizam mais o Organismo, Corpo Vivo de Cristo, e menos a organização. Quero ter um senso de missão encarnado. Quero ver Deus e seguir a Jesus fora da “caixa”.

A música do Gerson Borges, interpretada pela Carol Gualberto, consegue traduzir o sentimento da minha alma. Já não pertenço. Mas ainda estou contido. Até quando?

http://m.youtube.com/watch?v=oU3vMFCcv1w

 

Anúncios